Biofilme é qualquer grupo de microrganismos que se juntam (não necessariamente da mesma espécie) e se fixam em alguma superfície. Esses microrganismos criam uma teia de substância extra-celular que lhes oferecem diversas vantagens. Todos já tivemos contato com biofilmes no nosso dia a dia, mas temos outros tipos de denominações, sendo o limo que se forma em superfícies úmidas, o mais conhecido. Ele se caracteriza por ser uma camada gelatinosa e adesiva que pode se formar espontaneamente em praticamente qualquer superfícies e dependendo dos microrganismos que o constitui pode ser esbranquiçado, amarronzado ou verde (especialmente quando há incidência de luz solar). 

Limo (biofilme) em parede interna de aquário
Limo (biofilme) em parede interna de aquário

O biofilme poderia ser comparado analogamente a uma cidade, em que microrganismos passam a viver em companhia de diferentes espécies no sentido de ter vantagens e melhor adaptabilidade. Nutrientes, por exemplo, se aderem a essa camada extracelular excretada pelas células criando um ambiente assim mais propício para o desenvolvimento microbiológico. Além disso, ela também é responsável por fixar firmemente o biofilme nas superfícies além de garantir uma excelente proteção contra agentes externos.

Formação de tártaro, pela ação de biofilme na boca
Formação de tártaro, pela ação de biofilme na boca

Um exemplo bastante próximo é o biofilme que se forma na nossa boca. São milhares de tipos diferentes de bactérias que vivem na nossa boca e na maioria do tempo sem causar males, pelo contrário, elas são essenciais para a saúde. Contudo, a tendência é que se formem biofilmes nos nossos dentes preferencialmente quando há restos de alimentos, ainda que muito pequenos. A atividade desses biofilmes nos dentes formam o que chamamos de tártaro ou cálculo dentário, o acúmulo de sais inorgânicos que ficam impregnados na parte externa dos dentes. Essa atividade é tão intensa, que até mesmo as técnicas domésticas de higiene bucal não são capazes de exterminar por completo o biofilme. Casos mais agravados chegam a causar quadros mais complicados como por exemplo a periodontite, quando as bactérias pela sua atividade e sua proteção criada pelos biofilmes consegue atingir as partes ósseas do maxilar.