Dando continuidade à avaliação dos relatórios do CDC (organismo responsável por controle e prevenção de doenças infecciosas nos Estados Unidos) sobre surtos de doenças originárias da água entre 2009-2010, outra informação bastante interessante é a origem da água dos sistemas para consumo humano que causaram os surtos documentados (lembramos que os dados são apenas para surtos documentados oficialmente). Tanto a maioria dos surtos (51,5%) quanto a maioria do número absoluto de enfermos (93,7%) teve sua origem em sistemas de água alimentados por água de poço.

Esses dados, ao contrário do que aparenta, não significa que a água subterrânea possui mais contaminantes do que a água de outras origens. A questão está no fato de que existe a ilusão disseminada, inclusive no meio técnico, de que a água de poço é mais “limpa” que a água de rios ou represas. Com esse pressuposto, é comum verificar poços cuja água possui tratamento deficiente, normalmente sem nenhum estudo detalhado da água a ser tratada, não sendo raro também o uso sem qualquer tratamento.

O próprio relatório demonstra que 24,2% dos surtos e 14,8% do número absoluto de enfermos são provenientes de sistemas cuja água do poço não possuía qualquer tratamento, o que revela uma certa despreocupação comum com relação aos riscos associados à esse tipo de água, que é mais comum do que se pensa, basta pensar que esses dados sobre poços se refere apenas para sistemas de água para consumo humano.

A água é um bem valioso e essencial que possui relativo fácil acesso, contudo seu uso não pode ser indiscriminado. Um profissional competente deverá sempre verificar se há necessidade e qual o tratamento mais adequado em função da qualidade da água e o uso pretendido. Além do mais, um estudo dos riscos e perigos que o sistema como um todo (desde a captação até os pontos de uso) é uma ferramenta essencial para qualquer um responsável pelo sistema de água seja um sistema industrial, predial ou doméstico.

 

Referência:

1. CDC – Centers for Disease Control and Prevention – Surveillance for Waterborne Disease Outbreaks Associated with Drinking Water and Other Nonrecreational Water — United States, 2009–2010