Levantamento realizado na Austrália com 72 tanques de coleta de água de chuva demonstraram que 74% deles estavam contaminados com Escherichia coli e 94% com Enterococcus ssp, ambas bactérias são indicativos de contaminação fecal. Foram realizadas análises de alta precisão pela amplificação de DNA (qPCR) de quatro patógenos oportunísticos: Aeromonas hydrophila, Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa Legionella pneumophila.  Todas as quatro bactérias foram identificadas sendo, respectivamente, encontradas em 29%, 15%, 13% e 6%. 
Esse pode ser visto como um alerta para o uso indiscriminado de reuso de água que atualmente está bastante em voga nas discussões sobre sustentabilidade e redução de consumo de água.  Nenhuma fonte de água, seja ela qual for, é isenta de riscos, e, também, raros são os sistemas que não seriam capazes de disseminar ao ambiente algum tipo de patógeno ou contaminante nocivo a saúde humana. Um sistema de irrigação de uma área ajardinada, por exemplo, que receba água captada da chuva, segundo este estudo na Austrália, apresenta riscos pelo menos para a Doença dos Legionários ou infecções de pele causadas pela Pseudomonas aeruginosa.

 

Referência:

Ahmed, W., et al. “Opportunistic Pathogens in Roof-Captured Rainwater Samples, Determined Using Quantitative PCR.” Water Research (2014).